14 de jan de 2016

Dia de Clamor pelo Brasil

CGADB e CPAD conclamam assembleianos de todo país
a orarem por nossa nação em 02 de Fevereiro de 2016


No final do ano, a CGADB e a CPAD, nas pessoas dos seus respectivos presidentes, os pastores José Wellington Bezerra da Costa e José Wellington Costa Junior, estabeleceram o dia 2 de fevereiro de 2016 como o Dia de Clamor pelo Brasil. Todos os assembleianos do país são conclamados a participarem desse grande clamor nacional, cujos alvos são vários e extremamente importantes. Para começar, o Brasil atravessa uma das maiores crises de sua história. É uma crise política, econômica, social, moral e espiritual: nunca houve tantos casos de corrupção em nosso país como agora, batendo, em cifras e com folga, conforme relatos da própria imprensa internacional, todos os principais casos de corrupção que se tem conhecimento na história universal; nosso país também enfrenta uma das maiores crises econômicas de sua história e, apesar disso, ainda não foram tomadas medidas concretas para acertar os rumos da economia do país; e como se não bastasse isso, ainda vivemos em uma instabilidade política que se estende há mais de um ano, gerando incertezas que afetam ainda mais a nossa economia.

Na área da saúde, além dos já tradicionais problemas na área de infraestrutura, doenças novas têm surgido, causando grandes males à população, como é o caso do Zika. Na área da segurança pública, o que se vê há mais de dez anos é um caos completo, com o país chegando a mais de 70 mil assassinatos por ano, números que ultrapassam os números de homicídios em muitos países que estão em guerra civil (basta dizer que isso é mais do que uma Guerra do Vietnã por ano, e esta durou 20 anos!). Na área da educação, os dados são cada vez mais negativos. A qualidade da educação no Brasil, ainda mais em comparação com a dos demais países, é decepcionante. Nosso país despencou e continua lá embaixo no ranking da educação mundial.

Na área moral, aumenta cada vez mais o mau exemplo das autoridades públicas, cujo comportamento acaba incentivando boa parte da nossa população, que culturalmente já convive com a mentalidade deletéria do “jeitinho”, a prezar menos a manutenção de uma vida totalmente íntegra e correta. E, por fim, na área espiritual, vemos a igreja evangélica no Brasil, como um todo, precisando de um despertamento espiritual. A condescendência com o mundo, um “evangelho” da autoajuda a prosperar em muitos lugares, a perda de integridade, a banalização da mensagem do Evangelho, sem falar dos problemas e ataques que vêm de fora contra a igreja, na forma de projetos de lei e discursos que se chocam frontalmente contra os valores e a mensagem cristãos.

Sabemos que não basta apenas orar, mas, por outro lado, também não adianta fazer nada se sobretudo não orarmos. Portanto, clamemos pedindo a misericórdia de Deus sobre o nosso país, para que este possa sair dessa situação difícil em que se encontra. Lembremo-nos da promessa do Senhor Deus: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Crônicas 7.14).


Levantemos juntos, com fé e em todo o país, um clamor pelo Brasil. Afinal, nossa esperança não está nos homens, mas em Deus.